Indicadores de Eficiência: O Que São e Como Utilizá-los

Quem é você no ambiente profissional: aquele que acompanha os indicadores de eficiência ou o que fica torcendo para que a estratégia esteja certa?
Vamos combinar que a tecnologia facilitou, e muito, a rotina nas empresas.
A partir de seus avanços, monitorar resultados é uma tarefa cada vez mais automatizada e recheada de possibilidades.
Nem por isso, é claro, você deve deixar todo o trabalho para os computadores – alguém precisa acompanhar o que acontece e estar pronto para a análise.
Mas, afinal, por que tanto se fala da importância de ter indicadores? Que diferença eles realmente fazem para uma empresa? E o que se pretende alcançar com eficiência?
Se o assunto ainda é terreno um pouco escorregadio para você, não tem problema. Ao longo do artigo, vamos explicar os principais detalhes sobre o assunto e mostrar como a produtividade do seu negócio pode dar um salto ao olhar para o seu desempenho.
Ficou interessado? Então, nos acompanhe até o final da leitura.

O Que São Indicadores de Desempenho ou KPIs?

indicadores de eficiencia o que sao desempenho KPIs
Antes de partirmos para o conceito mais específico de eficiência, é importante passarmos por uma categoria mais abrangente: a dos indicadores de desempenho.
Também conhecidos como Key Performance Indicators (KPIs), eles reúnem diversos tipos de métricas, capazes de ajudar no monitoramento dos resultados e da proximidade das metas definidas por uma empresa em cada um de seus setores.
Ou seja, eles permitem que você represente, de maneira aritmética, qual o desempenho alcançado em cada atividade desenvolvida ao longo de um período específico de tempo.
Conforme avança nessa análise, é possível criar séries históricas e observar o avanço alcançado.
Mas para que eles realmente possam fazer a diferença e contribuir para o crescimento do negócio, é importante estar atento a alguns detalhes. O primeiro deles é a vinculação com o planejamento estratégico.
Afinal, de que adianta encontrar números de maneira aleatória se eles não fazem sentido dentro do propósito final?
Vamos dar um exemplo para deixar um pouco mais claro.
Imagine duas empresas de call center que monitoram o número de ligações feitas, mas o direcionamento dado a essas informações é diferente em cada uma delas.
Enquanto o foco da primeira está em realizar mais ligações, a segunda prioriza a qualidade desse atendimento.
Logo, a noção de desempenho varia conforme o propósito.

O Que Significa Eficiência?

indicadores de eficiencia o que significa
Para explicar o significado da palavra eficiência no universo corporativo, vamos tomar como exemplo um conceito bastante comum no dia a dia: o de eficiência energética.
Se você for comprar um carro, certamente não vai deixar de perguntar quantos quilômetros por litro ele faz na estrada e na cidade, certo?
Especialmente com o preço da gasolina em alta, é comum que o consumidor busque um automóvel, capaz de consumir menos combustível para percorrer um trecho maior.
Essa é uma característica que faz dele um veículo eficiente. Ou seja, caracterizado pela eficiência.
No mundo profissional, não é diferente: as empresas querem produzir mais com menos recursos.
Isso é eficiência.

Importância dos Indicadores de Eficiência

indicadores de eficiencia importancia
Depois de conhecer a definição da palavra eficiência, não é difícil entender a importância que os indicadores dessa categoria possuem.
Eles ajudam a compreender como anda a produtividade da empresa frente ao recursos investidos, sejam eles financeiros ou de tempo, por exemplo.
Uma das principais vantagens de utilizar indicadores de desempenho está na capacidade de tomar decisões mais assertivas e embasadas.
Isso porque você consegue ver os resultados e analisar de que forma eles favorecem ou não o cumprimento da meta.
Se um único colaborador estiver com dificuldades de produzir dentro do número definido, todo o planejamento pode acabar prejudicado – ou até comprometido.
Mas quando você olha para o cenário com todos os detalhes que ele oferece, se habilita a evitar que o problema chegue a esse ponto.
É tudo sobre planejamento e análise constantes. Nesse sentido, aumentar a eficiência é também potencializar as chances de sucesso. E quem não quer chegar lá?

Como Avaliar Indicadores de Eficiência?

indicadores de eficiencia como avaliar
O primeiro detalhe a considerar aqui é que a avaliação de qualquer indicador, seja ele de eficiência ou não, depende da empresa, do ambiente no qual ela está inserida e de quais são as suas metas.
São esses os aspectos que vão nortear toda a análise.
Por exemplo, vamos supor que uma agência de produção de conteúdo digital precise entregar a um cliente 30 textos mensais.
Para isso, existem dois redatores disponíveis.
Em uma conta rápida, cada um deles precisaria escrever 15 textos por mês para que a meta seja atingida. Esse poderia ser o ideal de eficiência exigido.
Mas acontece que esses mesmos redatores passam a participar da entrega de um segundo cliente. Considerando os prazos definidos, o gestor pode analisar que o ideal de eficiência é que os 15 textos sejam entregues em duas semanas ou 50% do tempo disponível até então.
Com o aumento na eficiência do tempo de entrega, a produtividade cresce, pois há condições de absorver a demanda gerada pelo segundo cliente.
Você pode adaptar esse exemplo para qualquer que seja o modelo de negócio e ficará claro como os indicadores de eficiência oferecem valiosas contribuições para os resultados alcançados.

Eficiência vs Eficácia vs Efetividade

indicadores de eficiencia eficacia efetividade
É bem possível que você já tenha visto as palavras eficiência, eficácia e efetividade sendo usadas como sinônimos.
Mas ainda que elas possam ter algumas semelhanças, os conceitos também possuem especificidades que não podem ser ignoradas, especialmente quando estamos falando de indicadores.
Quem entender melhor? Então, confira a definição de cada uma delas:

Eficiência

Essa é fácil, pois já vimos o conceito logo acima.
Mas não custa reforçar: eficiência é a capacidade de produzir mais consumindo menos recursos. Ou seja, também tem ligação direta com a redução de desperdícios.
Quando a eficiência é priorizada, a produtividade aumenta.

Eficácia

A eficácia, de outra maneira, está relacionada ao resultado atingido.
Aqui, o uso do recursos não é considerado, apenas o tempo: o importante é entender quão próximo se chegou da meta.
Assim, uma eficácia de 100% em uma métrica específica significa que ela foi atingida em sua totalidade dentro de um período definido.

Efetividade

Fazer corretamente aquilo que precisa ser feito.
Talvez essa seja a melhor forma de explicar o que é a efetividade.
Significa atingir os resultados propostos fazendo uso dos recursos disponíveis da melhor forma possível.
Se você analisar as palavras com cuidado, vai perceber que estamos falando da união entre eficácia e eficiência.
Poderíamos dizer, inclusive, que esse é o ideal a ser atingido por qualquer negócio.

Quais os Outros Tipos de Indicadores de Desempenho de Processos (KPIs)?

indicadores de eficiencia quais os outros tipos processos
Logo no início do artigo, falamos que os indicadores de desempenho se dividem em inúmeras categorias, responsáveis por fornecer métricas específicas.
Agora, chegou o momento de detalhar um pouco mais o assunto e trazer exemplos.
Afinal, quem deseja adotar um planejamento embasado por indicadores precisa ir a fundo no assunto.
Essa é a melhor forma de compreender quais deles podem servir melhor ao seu modelo de negócio e às ambições que você possui para o futuro da empresa.

Indicadores de Produtividade

Produtividade é um conceito que se relaciona com o custo-benefício – não por acaso, tem tudo a ver com a eficiência da qual tanto falamos até aqui.
Os indicadores desse tipo são fundamentais para dimensionar, inclusive, o desempenho alcançado pelos colaboradores.
Caso alguma inconsistência seja identificada, é possível redefinir a meta ou, melhor ainda, fazer ajustes que aumentem a produtividade.
Unidades por hora, negócios fechados por vendedor, atendimentos por dia.
Esses são só alguns exemplos de métricas que podem ser utilizadas para mensurar a produtividade de uma empresa ou profissional.

Indicadores de Qualidade

Na pressa por alcançar resultados rápidos, muitas empresas se esquecem do papel central ocupado pela qualidade.
Mas a verdade é que não basta fazer: é preciso que seja bem feito.
É por isso que os indicadores de qualidade costumam estar relacionados também com o retorno dado pelo público.
Para medir um indicador como esse, o caminho mais comum é recorrer às pesquisas de satisfação ou de mercado, que oferecem um panorama completo.
Mas algumas métricas servem também como um desafio interno, uma forma de motivar a equipe.
Se você atua em uma empresa de logística, por exemplo, pode dimensionar a porcentagem de entregas feitas dentro do prazo indicado.
Afinal, tempo é fundamental e determina qualidade quando o assunto é o recebimento de uma encomenda.

Indicadores de Efetividade

Como já abordamos anteriormente, a efetividade é uma forma de saber qual é o impacto gerado pelos produtos ou serviços.
Ou seja, se os objetivos propostos inicialmente foram concretizados, rendendo satisfação ao cliente, custos mais baixos e lucratividade maior.
Assim, uma empresa que atua de maneira efetiva é aquela que consegue unir eficiência e eficácia em uma mesma fórmula de sucesso.
Um indicador de efetividade deve ser capaz de oferecer respostas para perguntas como:

  • O modo de atuação da equipe foi capaz de aumentar o faturamento?
  • Também diminuiu os erros?
  • E em relação aos produtos e serviços, há relevância para o cliente?
  • Ele é fidelizado?

Indicadores de Gestão

Todo projeto inicia com um objetivo, certo? Ou pelo menos assim deveria ser.
Cabe ao gestor acompanhar o desenvolvimento e avaliar a situação vivida, inclusive, prevendo a necessidade de ajustes ao longo do caminho.
Os indicadores de gestão representam um olhar macro sobre as ações e projetos da empresa.
Não se trata do desempenho de um único setor ou colaborador, mas de um raio x bastante abrangente.
As metas foram cumpridas dentro do prazo determinado? O orçamento foi suficiente? E como está o retorno sobre investimento? Tudo deve ser avaliado.

Indicadores de Produção Industrial

Quando falamos de indicadores de produção industrial, vale lembrar que cada empresa possui as suas especificidades.
Assim, a métrica que funciona muito bem para uma pode não ser a melhor escolha para outra.
De modo geral, no entanto, elas são bastante versáteis e exigem apenas ajustes de formulação.
Número de lotes rejeitados, uso da capacidade instalada, quantidade de unidades por hora, tempo médio de inatividade de um equipamento.
As possibilidades são muitas – basta adequar aos seus propósitos.

Exemplos de Indicadores de Eficiência

indicadores de eficiencia exemplos
Passadas todas essas definições, não poderíamos deixar de fora alguns exemplos de indicadores de eficiência.
Veja quais são eles:

Eficiência global de equipamentos

É possível que a métrica também seja identificada por OEE, sigla em inglês para Overall Equipment Effectiveness.
Ela é utilizada para evidenciar o modo como a fabricação é realizada.
Seu nome está relacionado com os três pilares que conduzem ao sucesso de uma indústria: a produtividade, a disponibilidade e a qualidade.
Ou seja, oferece um balanço entre todos eles.
Afinal, de nada adianta que os equipamentos estejam disponíveis se eles operam abaixo da capacidade ou com qualidade reduzida.

Comparação de resultados

Outra possibilidade bastante simples, mas que permite avaliar a evolução da eficácia, é a comparação entre resultados de dois período diferentes.
Tomando como exemplo uma indústria de móveis, basta calcular quantas cadeiras foram produzidas no ano passado e qual foi o valor investido para tanto.
Depois, confrontar o número com o balanço atual para verificar se a taxa de eficiência melhorou.

Como um Coach Pode Aumentar a Eficiência de uma Empresa?

Já cogitou o auxílio de um coach para ser mais eficiente?
Ser bem-sucedido nessa tarefa se explica pelo modo como um processo de coaching é conduzido e no seu foco: o desenvolvimento humano.
Quando um coach inicia o trabalho junto ao seu coachee, são definidos objetivos. Dali em diante, eles vão nortear os exercícios e ações.
Essa, é claro, é apenas uma das etapas.
Com as metas em mente, fica mais fácil entender quais competências vão ser necessárias no caminho até o resultado desejado.
O próximo passo, então, é trabalhar para que essas habilidades sejam aperfeiçoadas e o coachee possa atingir o máximo do seu potencial.
Agora, imagine que o objetivo de uma empresa seja aumentar a sua eficiência em 30% ao longo do próximo semestre.
Nesse caso, o coach pode realizar um trabalho focado junto a algumas das lideranças e estimular que elas sejam multiplicadoras desse propósito.
Juntos, todos vão atuar para que a meta possa se transformar em realidade.
Em resumo, o coach se posiciona como um facilitador, que acompanha todo o processo e estimula o desenvolvimento.
Mas o verdadeiro protagonista dessa história é o coachee e todos aqueles que atuam no dia a dia do negócio, prontos a promover o crescimento necessário a partir das técnicas que a metodologia de coaching oferece.

Como Se Tornar um Coach?

Outra possibilidade cada vez mais comum são gestores e lideranças de empresas que veem no coaching uma opção transformadora. Por isso, desejam promover a metodologia dentro de seus negócios, como parte da cultura organizacional.
Uma das principais vantagens obtidas está na união entre os saberes de um coach e todo o conhecimento sobre as especificidades do negócio que só quem é parte dele pode ter.
Se essa lógica faz sentido para você, talvez esteja na hora de considerar a possibilidade de iniciar a sua formação na área.
Para dar esse passo, não existe nenhum pré-requisito definido. Basta buscar uma instituição confiável e se especializar.
Para isso, faça uma boa pesquisa de mercado e tente entender quais são as principais opções.
Que diferenciais oferecem? Contam com certificação internacional? E os professores, que experiência possuem? Não se apresse na hora de analisar.
Lembre-se: é a sua formação que está em jogo e a pressa não vai ajudar.

Formação em Coaching SBCoaching

Quer uma dica para começar a sua busca?
Conte com toda a experiência de quem já formou mais de 35 mil coaches e é referência no assunto: a SBCoaching.
Estamos no mercado desde 1999 e somos a primeira empresa a oferecer treinamentos de coaching no Brasil.
Não por acaso, contamos com certificação internacional de instituições como Association for Coaching e Brian Tracy International, para citar apenas algumas.
Mais do que isso, temos soluções completas para atender a diferentes perfis.
Vamos iniciar pelo básico, o curso de Personal & Professional Coaching.
Desenhado especialmente para quem está começando na área, ele apresenta técnicas e ferramentas capazes de elevar seus resultados, sejam eles pessoais ou profissionais.
Agora, se o que você busca é uma alternativa mais focada no seu desenvolvimento como liderança, é bom conhecer o Professional Leader Coach.
Ao longo do curso, são trabalhados quatro pilares básicos: competências, performance de indivíduos, performance de times e autoliderança.
Imagine o quanto a sua equipe pode crescer e aumentar a produtividade a partir da sua evolução e aperfeiçoamento como líder e profissional.
O recado aqui é claro: inspire e seja inspirado.
E se precisar de alguma ajuda para escolher ou quiser tirar mais dúvidas, aproveite para entrar em contato pelos nossos canais.

Conclusão

indicadores de eficiencia conclusao
Depois de passar por tantos tópicos, esperamos que você esteja decidido a adotar os indicadores de eficiência com seriedade e comprometimento.
A propósito, não só eles: vimos que existe uma variedade enorme de métricas que podem ser monitoradas e analisadas de maneira permanente.
Elas são capazes de oferecer números essenciais para que você entenda não apenas como vai a sua empresa agora, mas o que é possível esperar dela para o futuro.
Você não perderia essa chance, não é mesmo? Agora, é o momento de definir quais indicadores usar para chegar até lá.
Além disso, também mostramos ao longo do artigo como o coaching pode oferecer soluções para que as metas que você tanto deseja atingir sejam, finalmente, alcançadas.
Não se trata de mágica ou acaso, mas sim de uma metodologia que investe no crescimento de pessoas e permite que elas sejam protagonistas de mudanças que geram impacto em suas vidas e nos ambientes profissionais em que atuam.
A propósito, você já decidiu qual curso da SBCoaching vai fazer? A resposta permite múltipla escolha, não se preocupe.
Agora, aproveite e compartilhe com a gente nos comentários.
E se o artigo foi útil, divida com mais pessoas em suas redes sociais.

Comentários

Quem leu este post leu também :)

Empresas familiares: como funcionam, características e como gerir

Economia Compartilhada: O que é, Para que Serve e Exemplos

Administração Estratégica: O que é, Benefícios e Exemplos

Empreendedor individual: O que é, Como Funciona e Como Ser

Empresas B2B: Significado, Características e Exemplos

Business Intelligence: O que é, Exemplos e Aplicações

Materiais Educativos

Como se tornar um Coach de sucesso

Escrito por Villela da Matta, presidente da SBCOACHING, este e-book traz 29 perguntas para alavancar o marketing, as vendas e as estratégias do seu negócio para seu sucesso…

Segredos da Paternidade Positiva

O envolvimento do pai contribui de forma significativa para o crescimento intelectual e mental da criança e a estimula na educação, desenvolvimento de habilidades, interesse etc…

Brian Tracy

Brian Tracy é uma das maiores autoridades em coaching e negócios do mundo: em mais de 30 anos de atuação, passaram por suas palestras e seminários mais de 5 milhões de pessoas. Já atuou como coach e consultor em mais de mil empresas. Autor de dezenas de best-sellers, foi homenageado em 2011 com o Lifetime Achievement Award, concedido pela National Academy of Best Selling Authors. É fundador e CEO da Brian Tracy International, tem uma carreira de sucesso, principalmente nos setores de vendas e marketing, investimentos, desenvolvimento imobiliário, importação, distribuição e consultoria de gestão.

Flora Victória

Flora Victoria é fundadora da Sociedade Brasileira de Coaching, presidente da SBCOACHING Training e Mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania. Diretora educacional das empresas do SBCOACHING Group e founding fellow do Institute of Coaching (IOC) – órgão afiliado à Harvard Medical School dedicado ao avanço do coaching, Flora é considerada a maior especialista em psicologia positiva aplicada ao coaching do país. Seu trabalho precursor resultou na criação do primeiro treinamento de positive coaching do Brasil. Pioneira na condução de projetos de pesquisa e comprovação científica do coaching no país, tem contribuído significativamente para consolidar a credibilidade desse processo e estimular seu desenvolvimento no Brasil e no mundo.

Como trainer e master coach, Flora já participou da formação de mais de 45 mil coaches no Brasil. Responsável pelas parcerias internacionais firmadas pela SBCOACHING com instituições globais, Flora tem trazido para o Brasil o que há de melhor e de mais atual no coaching internacional. Flora representa a Sociedade Brasileira de Coaching como membro da Graduate School Alliance for Executive Coaching (GSAEC), instituição especializada no ensino acadêmico do coaching, e da Association for Coaching (AC), credenciadora internacional presente em mais de 50 países.

Escritora de obras que são referência no coaching mundial, Flora é coautora dos livros Personal & Professional Coaching®, Executive & Business Coaching®, Positive Psychology Coaching® e Career Coaching®, entre outros. Em parceria com Brian Tracy e Villela da Matta, escreveu Estratégias Avançadas de Vendas e Engajamento Total. Como parte de sua contribuição para o coaching global, Flora foi convidada a integrar uma equipe internacional cujo objetivo foi discutir e compreender a diversidade do coaching no mundo. Esse trabalho resultou no livro Diversity in Coaching: Working with Gender, Culture, Race and Age, lançado pela Association for Coaching (AC). Como especialista em coaching, negócios, liderança e psicologia positiva, escreve artigos para a Revista SBCOACHING, para a Revista Científica Brasileira de Coaching e para diversos portais.

Com graduações acadêmicas e especializações nas áreas de Governança Corporativa pela Harvard Business School, MBA pela FGV, Marketing pela ESPM e Tecnologia pela USCS, a expert em ciências comportamentais, Flora, aplica seu sólido conhecimento teórico e prático para contribuir com diferentes públicos na conquista de resultados e aumento de realizações.

Com uma experiência organizacional consolidada ao longo de 30 anos, antes de fundar a SBCOACHING Flora foi executiva da Claro e atuou em grandes empresas como Volkswagen, Ford e Bell South, nas áreas de planejamento estratégico, gestão de mudanças, governança corporativa, tecnologia e finanças. À frente da SBCOACHING Training™, dedica-se continuamente a expandir o portfólio de serviços e a elevar cada vez mais a qualidade e a eficácia do coaching.