Índices de Rentabilidade: O Guia Completo dos KPIs SBCoaching

indices de rentabilidade guia completo kpis

Você sabia que a análise dos índices de rentabilidade pode revelar a viabilidade de um investimento, ajudar a tomar decisões saudáveis e reduzir a margem de erro nos negócios?

Não há dúvida de que um passo em falso custa muito caro no empreendedorismo.

Por isso, investigar todos os números da empresa é uma obrigação de qualquer gestor sério e dedicado, que mira os resultados e objetivos de longo prazo.

Nas próximas linhas, você vai descobrir o que são os índices de rentabilidade, como analisá-los na sua empresa e qual é a sua importância diante de qualquer investimento.

Se você busca tomar decisões mais assertivas na sua empresa e em suas aplicações de capital, vale a pena ficar atento a questões como KPIs, indicadores de desempenho, fatores que afetam a análise de rentabilidade, exemplos de índices e formatos de avaliação.

Ficou interessado? Então siga a leitura.

O Que é um Indicador de Desempenho ou KPI?

o que e um indicador de desempenho kpi - indices de rentabilidade

O indicador de desempenho é uma medida qualitativa ou quantitativa que mostra o estado de uma operação, processo ou sistema.

Já o KPI, que significa Key Performance Indicator, pode ser traduzido como o Indicador-chave de desempenho.

Ou seja, os KPIs são os indicadores mais importantes para a gestão do negócio.

Aprofundando um pouco mais a conceituação, vemos que desempenho diz respeito à comparação entre o que foi realizado e os objetivos iniciais.

Logo, o indicador de desempenho é a medida do que foi de fato realizado na operação em relação ao planejamento anterior.

É fácil imaginar o quanto esses indicadores são decisivos na gestão de negócios, uma vez que eles funcionam como termômetros das atividades da empresa.

No livro Indicadores de Desempenho: dos objetivos à ação — métodos para elaborar KPIs e obter resultados (Alta Books, 2018), os KPIs são definidos como um conjunto de métricas que traduzem e esclarecem critérios relevantes para a empresa.

Mas afinal, quais são os KPIs mais utilizados?

Na verdade, os indicadores-chave de desempenho dependem integralmente da empresa, processo ou sistema que se pretende avaliar e monitorar.

Se você quer acompanhar a evolução da eficiência, deve utilizar métricas como a produtividade e custos unitários.

Se o objetivo é mensurar a qualidade de um produto ou serviço, alguns exemplos de indicadores são a satisfação dos clientes, número de unidades vendidas e contratos fechados, devoluções e rescisões, entre outros.

Desse modo, a gestão estratégica por KPIs deve ser desenvolvida de acordo com os objetivos da empresa, levando em conta os fatores essenciais para o sucesso do negócio.

O Que Significa Rentabilidade?

o que significa rentabilidade - indices de rentabilidade

A rentabilidade, segundo o dicionário, é o grau de êxito econômico de uma empresa em relação ao capital aplicado em suas operações.

No mundo dos negócios, a rentabilidade é uma das quatro áreas principais dos indicadores financeiros, ao lado de utilização de ativos, liquidez e endividamento.

A pergunta respondida por esses índices é basicamente “Quanto lucro é suficiente?”.

Assim, o gestor deve utilizar os indicadores de rentabilidade para medir a capacidade da empresa de obter lucro e ter um retorno adequado sobre as vendas, ativos e capital investido.

A taxa de rentabilidade também é utilizada para medir os ganhos dos acionistas com o capital aplicado em determinadas empresas, sendo obtida pela divisão do lucro líquido pelo patrimônio líquido.

Desse modo, pesquisas como a Melhores e Maiores 2018, da revista Exame, e Valor1000, da revista Valor Econômico, revelam as melhores empresas do ano com base em índices de rentabilidade.

Esses números apresentam a eficiência da empresa, seu controle de custos e aproveitamento das oportunidades de negócio.

Ou seja, os principais componentes de geração de valor da empresa dependem dessas porcentagens.

O Que é a Rentabilidade do Ativo?

o que e rentabilidade de ativos - indices de rentabilidade

A rentabilidade do ativo é um índice capaz de mostrar o desempenho da empresa de forma generalizada, quando o objetivo é ter uma ideia do lucro total alcançado.

O indicador também é conhecido como retorno sobre ativos (ROA), aplicado para medir o quão efetivamente a companhia está usando seus ativos para gerar lucros.

Em outras palavras, a rentabilidade do ativo demonstra a intensidade do capital da empresa, que deve ser mensurada ano a ano para acompanhar sua evolução financeira.

Geralmente, as empresas que exigem grandes investimentos iniciais apresentam menores rendimentos sobre os ativos, que tendem a melhorar progressivamente.

O Que são Indicadores ou Índices de Rentabilidade e Lucratividade?

o que sao indicadores ou indices de rentabilidade e lucratividade - indices de rentabilidade

Apesar da semelhança, é preciso diferenciar a lucratividade da rentabilidade.

Lucratividade é uma relação do lucro com a receita de vendas, enquanto a rentabilidade é uma relação do lucro com o investimento.

Logo, temos as seguintes fórmulas básicas:

  • Lucratividade ou margem = lucro / receita de vendas
  • Rentabilidade = lucro / investimento.

Um bom exemplo de indicador de rentabilidade é o retorno sobre ativos que acabamos de mencionar.

Já em termos de lucratividade, os indicadores mais utilizados são a margem de lucro bruta e líquida.

Como Calcular o Índice de Rentabilidade?

como calcular indice de rentabilidade - indices de rentabilidade

Cada índice de rentabilidade tem a sua fórmula específica para ser calculado corretamente.

Vamos tratar dos principais indicadores de rentabilidade: retorno sobre ativos e retorno sobre capital próprio.

Retorno sobre ativos

O retorno sobre ativos é calculado pela seguinte fórmula:

  • Lucro líquido / ativos totais x 100 = porcentagem de ROA (Return on Assets).

Tomando como exemplo a empresa Inova Gestão de Serviços Urbanos, que se classificou entre as 10 empresas mais rentáveis em 2016/2017, segundo o Valor1000, temos os seguintes números:

  • Ativo total: 167,4 milhões
  • Lucro líquido: 201,8 milhões.

Aplicando a fórmula:

  • 201,8 / 167,4 x 100 = 120,549.

Nesse caso, a porcentagem aproximada do retorno sobre ativos é de 120%, o que representa uma ótima colocação nos rankings de rentabilidade.

Retorno sobre capital próprio

Já o retorno sobre capital próprio é calculado a partir da fórmula:

  • Lucro líquido / patrimônio líquido x 100 = porcentagem de ROE (Return on Equity).

Esse índice é utilizado para medir a taxa de retorno sobre o investimento de propriedade, ou seja, o capital dos acionistas.

Vamos utilizar como exemplo os dados da empresa Booking.com, que também figura entre as maiores rentabilidades do ranking Valor1000 em 2016/2017:

  • Lucro líquido: 201,8 milhões
  • Patrimônio líquido: 91,8 milhões.

Aos cálculos:

  • 201,8 / 91,8 x100 = 219,9.

Assim, a empresa aparece com uma rentabilidade do patrimônio líquido de 219,9%, que lhe garantiu o primeiro lugar nesse indicador.

Fatores Que Interferem no Resultado dos Indicadores de Rentabilidade

fatores que interferem no resultado dos indicadores de rentabilidade - indices de rentabilidade

Como vimos anteriormente, os indicadores de rentabilidade se relacionam com vários outros índices que compõem a análise financeira da empresa.

Assim, podemos reunir alguns fatores que interferem direta e indiretamente nos resultados de rentabilidade:

Estrutura financeira da empresa

A estrutura financeira da empresa é um fator condicionador para a rentabilidade, especialmente dos capitais próprios.

Essa estrutura consiste no grau de financiamento adotado com capitais próprios e alheios, assim como o custo dos investimentos.

Fatores macroeconômicos

Naturalmente, a rentabilidade das empresas é afetada pelo ambiente macroeconômico, com variações para cada segmento.

Assim, alguns fatores que devem ser levados em conta na análise financeira são:

  • Indicadores de consumo para projeção da evolução do negócio
  • Sazonalidade, com variação de preços de insumos e consumo, por exemplo
  • Índices de inflação e seu impacto no segmento
  • PIB, situação do emprego e níveis de confiança do consumidor
  • Taxas de juros
  • Riscos políticos, de energia, oferta/preço, etc.

Concorrência

É fundamental analisar as forças competitivas antes de tomar decisões em uma empresa de qualquer segmento, principalmente no que diz respeito à rentabilidade.

Para avaliar os concorrentes com eficiência, vale a pena utilizar o modelo das cinco forças de Porter:

  • Rivalidade entre os concorrentes
  • Poder de barganha dos clientes
  • Poder de barganha dos fornecedores
  • Ameaça de entrada de novos concorrentes
  • Ameaça de produtos substitutos.

Importância de Avaliar Indicadores de Rentabilidade Para as Empresas

importancia dos indices de rentabilidade

Avaliar os indicadores de rentabilidade para empresas significa acompanhar a saúde financeira dos negócios, gerando resultados de confiança para o mercado.

Por meio dos indicadores, é possível demonstrar que a empresa é atrativa para investidores, conseguir crédito e provar as vantagens do negócio para sócios e acionistas.

Além disso, esse diagnóstico permite que se criem soluções para elevar a eficiência do negócio, tanto em redução de custos quanto em elevação de faturamento.

Afinal, o objetivo central da gestão é criar o máximo de valor possível, e isso só pode ser concretizado por meio das análises de rentabilidade.

Mas a avaliação dos indicadores pode ser desafiadora, como veremos a seguir.

Como Avaliar Indicadores de Rentabilidade?

Para avaliar indicadores de rentabilidade, é preciso coletar dados precisos e saber interpretá-los, levando em conta suas limitações.

Apesar de serem ferramentas poderosas, estão sujeitos à interferência de vários fatores, como já avaliamos.

Os números podem ser distorcidos pela inflação, pela comparação equivocada entre períodos diferentes ou pela própria variação ao longo do tempo.

De acordo com Michael P. Griffin, autor da obra Contabilidade e Finanças (Saraiva, 2017), há dois principais tipos de análise financeira para indicadores de rentabilidade:

Análise horizontal

É a comparação de indicadores financeiros em diferentes períodos de tempo, para verificar a evolução dos números da empresa.

Por meio da análise horizontal, é possível monitorar todos os indicadores financeiros da empresa anualmente, semestralmente, trimestralmente ou em qualquer periodicidade desejada.

Análise vertical

Já a análise vertical consiste em demonstrações financeiras de dimensão comum, ou seja, dentro de um único período contábil.

Assim, cada item é mostrado como uma porcentagem de outros elementos financeiros, facilitando a comparação entre indicadores em empresas de qualquer tamanho.

Principais Indicadores de Desempenho de Processos (KPIs)?

principais indicadores de desempenho kpis - indices de rentabilidade

Voltando ao assunto dos KPIs, é importante conhecer os principais indicadores de desempenho de processos utilizados pelas empresas, para além dos indicadores de rentabilidade e lucratividade.

Esses dados ajudam a compreender a natureza dos indicadores financeiros e sua aplicação:

  • Indicador de produtividade: compara a utilização de recursos com a entrega
  • Indicador de capacidade: mensura a capacidade de determinado processo
  • Indicador de qualidade: avalia a conformidade em processos de qualidade
  • Indicador de competitividade: avalia a posição da empresa no mercado.

Exemplos de Indicadores de Rentabilidade nas Empresas

 

Já exploramos os indicadores de rentabilidade do ativo e do patrimônio líquido, mas há outros índices importantes para a avaliação financeira da empresa.

Estes são alguns dos indicadores mais utilizados pelos gestores financeiros:

Margem de lucro bruta

É um indicador financeiro essencial na análise de rentabilidade e fluxo de caixa, pois apresenta a medida do lucro bruto acumulado em vendas.

Seu uso é essencial no cálculo de produtividade do gerenciamento de custos, a partir da fórmula:

  • Margem de lucro bruta = vendas – custo das mercadorias vendidas / vendas.

Margem de lucro líquida

Este indicador financeiro revela o percentual de lucro obtido nas vendas (receitas), calculado pela seguinte fórmula:

  • Margem de lucro líquida = Lucro líquido após impostos / vendas.

Quanto maior a margem de lucro líquida em relação aos concorrentes, melhor para a rentabilidade da empresa.

Margem operacional

A margem operacional demonstra o percentual médio de lucro operacional para cada venda realizada, expresso pela fórmula:

  • Margem operacional = lucro operacional / receita operacional líquida.

A queda desse indicador é sempre preocupante, pois revela uma queda no volume de vendas, nos preços médios das mercadorias ou perda de eficiência operacional.

Giro do ativo

É um indicador que mostra quanto a empresa vendeu para cada real investido, ou seja, quantas vezes o ativo girou como resultado das vendas.

A fórmula utilizada para esse cálculo é bastante simples:

  • Giro do ativo = vendas líquidas / ativo total.

Chegando até aqui, você já deve ter uma ideia da complexidade das análises financeiras em uma empresa.

Como um Coach Pode Ajudar Sua Empresa a Ser Mais Competitiva e Rentável?

como um coach pode ajudar sua empresa - indices de rentabilidade

Se a sua empresa precisa se tornar mais rentável e competitiva para encarar os desafios atuais, o trabalho do coach pode ser decisivo.

De acordo com a pesquisa Coaching Executivo 2022: tendências para o futuro da International Coach Federation, os programas de liderança com técnicas de coaching tendem a crescer e dominar o mundo dos negócios.

Isso porque o coaching é uma abordagem poderosa de desenvolvimento humano, capaz de formar líderes e gestores de alta performance e guiar a empresa no caminho da excelência.

Imagine ter um profissional especializado em maximizar os pontos fortes e atenuar os pontos fracos da empresa, orientar processos para resultados e ainda inspirar uma cultura organizacional transformadora.

O coach oferece tudo isso e muito mais, usando suas técnicas avançadas para:

  • Incentivar os profissionais ao autoconhecimento e autorresponsabilização
  • Preparar a organização para adaptar-se às mudanças exigidas no mercado
  • Melhorar o relacionamento interpessoal entre profissionais e equipes
  • Capacitar gestores e líderes para desenvolver seu máximo potencial
  • Investir no capital humano como diferencial competitivo.

Uma empresa mais competitiva é aquela que conquista sua posição no mercado e gera resultados superiores à concorrência, e para isso a visão estratégica do coach é fundamental.

Se a prioridade é melhorar a rentabilidade, há coaches especializados em finanças que auxiliam empresas na realização de suas metas e objetivos financeiros em curto, médio e longo prazo.

Há ainda coaches de vendas, coaches de carreira, coaches de empreendedorismo e vários outros segmentos voltados ao sucesso profissional de pessoas e empresas.

Como Se Tornar um Coach?

Para os que veem no coaching uma oportunidade de carreira e aprimoramento, é possível se tornar um coach certificado e reconhecido no mercado.

Muitos líderes e gestores vêm descobrindo no coach um talento para a transformação pessoal e desenvolvimento de competências.

Se você acredita que pode despertar o potencial humano e levar pessoas a resultados extraordinários, é hora de investir em uma formação.

Partindo do interesse em indicadores financeiros, o curso mais indicado é o coaching executivo, focado no desenvolvimento de executivos, equipes e empresas.

Nesse caso, o Executive Coaching da SBCoaching é um grande exemplo de programa de formação, que aborda mais de 50 competências específicas para negócios, liderança e capacitação.

Com o título de coach, você ocupará uma posição diferenciada e poderá alavancar os resultados de qualquer organização, elevando a produtividade e rentabilidade onde estiver.

Afinal, de nada adianta o domínio em indicadores de desempenho se não houver visão estratégica, liderança positiva e foco em resultados.

Conclusão

indices de rentabilidade - conclusao

Como vimos, os índices de rentabilidade são referências essenciais para investimentos.

Afinal, não é prudente aplicar recursos financeiros sem o máximo de embasamento possível.

E no universo das empresas, esse manancial de informações é enorme: margens de lucro bruto e líquido, giro dos ativos, retorno sobre o capital próprio, retorno sobre o ativo, entre outros.

O resultado da análise de todos esses números é que vai indicar se o investimento vale a pena ou não.

Como você sabe, na alocação de recursos, o objetivo é a rentabilidade máxima.

Ou seja, o dinheiro se destina às empresas e aos investimentos que oferecerão maior valorização a ele.

Assim, além de potencializar os recursos, o investidor fica longe dos riscos.

Se o retorno projetado não for grande e o perigo inerente à movimentação for alto, então a alocação do dinheiro não será feita.

Isso vale para a expansão de um negócio, para a criação de uma nova empresa, para a aplicação em ações e, na prática, para quaisquer áreas da vida: você deve investir (tempo ou dinheiro) apenas naquilo em que realmente acredita.

Essa visão faz bastante sentido quando complementada pela atuação do coaching, uma metodologia de desenvolvimento pessoal e profissional que tem o objetivo de maximizar as potencialidades do indivíduo e impulsioná-lo na direção dos seus sonhos.

Então, se a busca de eficiência e da rentabilização de tempo e dinheiro são importantes na sua jornada, consulte as opções de cursos e treinamentos de coaching no mercado.

Logo você vai ver que o melhor retorno sobre o investimento será aquele em si mesmo.

Gostou das dicas sobre os índices de rentabilidade e a aplicação desses conhecimentos com a ajuda do coaching? Deixe um comentário.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também :)

Empresas familiares: como funcionam, características e como gerir

Economia Compartilhada: O que é, Para que Serve e Exemplos

Administração Estratégica: O que é, Benefícios e Exemplos

Empreendedor individual: O que é, Como Funciona e Como Ser

Empresas B2B: Significado, Características e Exemplos

Business Intelligence: O que é, Exemplos e Aplicações

Materiais Educativos

Como se tornar um Coach de sucesso

Escrito por Villela da Matta, presidente da SBCOACHING, este e-book traz 29 perguntas para alavancar o marketing, as vendas e as estratégias do seu negócio para seu sucesso…

Segredos da Paternidade Positiva

O envolvimento do pai contribui de forma significativa para o crescimento intelectual e mental da criança e a estimula na educação, desenvolvimento de habilidades, interesse etc…

Brian Tracy

Brian Tracy é uma das maiores autoridades em coaching e negócios do mundo: em mais de 30 anos de atuação, passaram por suas palestras e seminários mais de 5 milhões de pessoas. Já atuou como coach e consultor em mais de mil empresas. Autor de dezenas de best-sellers, foi homenageado em 2011 com o Lifetime Achievement Award, concedido pela National Academy of Best Selling Authors. É fundador e CEO da Brian Tracy International, tem uma carreira de sucesso, principalmente nos setores de vendas e marketing, investimentos, desenvolvimento imobiliário, importação, distribuição e consultoria de gestão.

Flora Victória

Flora Victoria é fundadora da Sociedade Brasileira de Coaching, presidente da SBCOACHING Training e Mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania. Diretora educacional das empresas do SBCOACHING Group e founding fellow do Institute of Coaching (IOC) – órgão afiliado à Harvard Medical School dedicado ao avanço do coaching, Flora é considerada a maior especialista em psicologia positiva aplicada ao coaching do país. Seu trabalho precursor resultou na criação do primeiro treinamento de positive coaching do Brasil. Pioneira na condução de projetos de pesquisa e comprovação científica do coaching no país, tem contribuído significativamente para consolidar a credibilidade desse processo e estimular seu desenvolvimento no Brasil e no mundo.

Como trainer e master coach, Flora já participou da formação de mais de 45 mil coaches no Brasil. Responsável pelas parcerias internacionais firmadas pela SBCOACHING com instituições globais, Flora tem trazido para o Brasil o que há de melhor e de mais atual no coaching internacional. Flora representa a Sociedade Brasileira de Coaching como membro da Graduate School Alliance for Executive Coaching (GSAEC), instituição especializada no ensino acadêmico do coaching, e da Association for Coaching (AC), credenciadora internacional presente em mais de 50 países.

Escritora de obras que são referência no coaching mundial, Flora é coautora dos livros Personal & Professional Coaching®, Executive & Business Coaching®, Positive Psychology Coaching® e Career Coaching®, entre outros. Em parceria com Brian Tracy e Villela da Matta, escreveu Estratégias Avançadas de Vendas e Engajamento Total. Como parte de sua contribuição para o coaching global, Flora foi convidada a integrar uma equipe internacional cujo objetivo foi discutir e compreender a diversidade do coaching no mundo. Esse trabalho resultou no livro Diversity in Coaching: Working with Gender, Culture, Race and Age, lançado pela Association for Coaching (AC). Como especialista em coaching, negócios, liderança e psicologia positiva, escreve artigos para a Revista SBCOACHING, para a Revista Científica Brasileira de Coaching e para diversos portais.

Com graduações acadêmicas e especializações nas áreas de Governança Corporativa pela Harvard Business School, MBA pela FGV, Marketing pela ESPM e Tecnologia pela USCS, a expert em ciências comportamentais, Flora, aplica seu sólido conhecimento teórico e prático para contribuir com diferentes públicos na conquista de resultados e aumento de realizações.

Com uma experiência organizacional consolidada ao longo de 30 anos, antes de fundar a SBCOACHING Flora foi executiva da Claro e atuou em grandes empresas como Volkswagen, Ford e Bell South, nas áreas de planejamento estratégico, gestão de mudanças, governança corporativa, tecnologia e finanças. À frente da SBCOACHING Training™, dedica-se continuamente a expandir o portfólio de serviços e a elevar cada vez mais a qualidade e a eficácia do coaching.