Psicologia do Desenvolvimento – O Guia Completo

psicologia do desenvolvimento guia completo

Você talvez nunca tenha se dedicado a estudar a chamada psicologia do desenvolvimento. Ainda assim, pode ter certeza de que ela tem tudo a ver com as suas vivências.
Trata-se de um campo amplo, que analisa o desenvolvimento do ser humano em seus mais variados aspectos.
Ao começar a se inteirar do assunto, você vai encontrar nomes conhecidos, como o do psicólogo suíço Jean Piaget, cuja teoria relacionada à aprendizagem é marcante.
Piaget vai aparecer algumas ao longo deste artigo, mas não apenas ele, pois este é o guia mais completo que você vai encontrar sobre a psicologia do desenvolvimento.
A partir de agora, vamos explicar o conceito, as bases do estudo, suas divisões, quem são os grandes teóricos e como tudo isso se relaciona com o coaching.
É um tema que lhe interessa? Então, siga a leitura!

O que é a psicologia do desenvolvimento humano e da aprendizagem?

A chamada psicologia do desenvolvimento e aprendizagem é um complexo campo da Psicologia.
No seu escopo, estão os estudos sobre o desenvolvimento físico-motor, afetivo-emocional, intelectual e social, passando da infância até chegar na vida adulta.
Já deu para entender por que falamos sobre a complexidade do assunto, não é mesmo?
Mas vamos ainda um pouco além: a abordagem considera mudanças de comportamento pelas quais cada um de nós passa no decorrer da vida.
Os questionamentos levantados na busca por respostas para essas questões são inúmeros, como não poderia ser diferente.
As correntes de pensamento, da mesma forma, são diversas.
Cada uma delas contribui com suas perspectivas para perguntas comuns, como: o ser humano já nasce pronto ou ele acumula experiências em diferentes fases da vida? E o desenvolvimento, ele ocorre a partir do acúmulo de conhecimentos e vivências ou é um caminho natural?
As respostas oferecidas a cada uma das questões nem sempre são definitivas, mas nos ajudam a compreender melhor o processo evolutivo do ser humano e também quem somos a cada fase da vida.
É por tudo isso que a psicologia do desenvolvimento é tão importante.

Qual é o objeto de estudo da psicologia do desenvolvimento humano?

psicologia do desenvolvimento qual objeto estudo
Esse campo funciona como uma base para que possamos compreender os nossos comportamentos e o próprio modo como lidamos com o nosso processo de crescimento e amadurecimento.
Então, poderíamos dizer que o objeto de estudo da psicologia do desenvolvimento é o próprio ser humano, mas a questão é um pouco mais complexa.
O problema é que o objeto de estudo dessa ciência ainda hoje é alvo de controvérsias.
Mesmo que tenha sido frequentemente apontada como equivalente à psicologia infantil, há especialistas que questionam a tese de que o desenvolvimento se restringe a uma faixa etária.
Ao contrário, acreditam que o desenvolvimento de comportamentos deveria ser estudado ao longo de toda a vida de uma pessoa.
Ou seja, ainda que as transformações sejam mais óbvias durante a infância, existiriam variáveis para se analisar muito após isso, compreendendo desde o nascimento até a morte.

Jean Piaget e a Psicologia do Desenvolvimento Infantil

Como citamos logo na abertura do texto, Jean Piaget é um dos grandes nomes quando falamos sobre desenvolvimento humano.
Não por acaso, é considerado como o pai do construtivismo. Mas o que isso significa?
Para ele, a criança cria seu processo de aprendizagem construindo e reconstruindo seu pensamento.
Isso acontece a partir da assimilação e da acomodação, conforme os problemas que se colocam em seu caminho.
Para definir o modo como o pensamento é construído desde o sopro inicial da vida, Piaget dividiu em etapas que, de acordo com ele, todos os indivíduos passariam em idades muito semelhantes.
A primeira delas é a sensório-motor, que compreende desde o nascimento até os dois anos de idade.
É aqui que começa o desenvolvimento da coordenação motora, quando a criança aprende a diferenciar o próprio corpo dos objetos.
As ações são controladas por meio de informações de ordem sensorial.
Já na etapa pré-operatória, que vai dos dois até os sete anos, o pensamento da criança é egocêntrico, centrado nela mesma, pois ainda não é capaz de se colocar no lugar do outro. É aqui que ela começa a desenvolver a fala, identificar os símbolos e criar habilidades físicas.
Passando, então, ao estágio das operações concretas, que vai dos sete aos 12 anos, acontece o aprimoramento das habilidades anterior, assim como a capacidade de raciocínio lógico também é desenvolvida.
Por fim, chegamos ao quarto e último estágio: o das operações formais.
Para Piaget, ele ocorre dos 12 anos em diante, onde competências e capacidades estariam desenvolvidas por completo.
O pensamento lógico é dominado e são adicionados à conduta também os valores morais, permitindo a tomada de decisões mais complexas.

Quais são os principais fatores que influenciam no desenvolvimento?

psicologia do desenvolvimento quais sao principais fatores
Quando falamos de desenvolvimento humano e no modo como ele acontece, é impossível apontar apenas um fator como decisivo.
Afinal, o processo ocorre justamente a partir da interação de vários deles.
Vamos relacionar agora quais são os principais.

Hereditariedade

O potencial de uma criança é também definido pela carga genética que ela herda de seus pais biológicos.
Não significa dizer que toda essa potencialidade será, de fato, transmitida.
Ou seja, o desenvolvimento pode ocorrer ou não, de acordo com os estímulos recebidos do ambiente.

Crescimento orgânico ou aspecto físico

Conforme a criança desenvolve os seus aspectos físicos, a exemplo da própria altura, ela também passa a ter comportamentos e ações que, pelo menos até então, não pareciam possíveis.
Alguns teóricos apontam, no entanto, que fatores biológicos podem influenciar nesse processo.
É o caso da desnutrição ou mesmo de um quadro de falta de oxigênio durante o parto.

Meio de vivência

Desde o momento em que ainda estamos na barriga de nossas mães somos influenciados pelo meio externo.
A partir do nascimento, não é diferente.
As interações que realizamos todos os dias, no espaço em que estamos inseridos, também contribuem, de modo decisivo, para moldar nosso padrão de comportamento.
É por isso que tanto se fala da necessidade de estimular a criança a partir do exemplo de um adulto.
Aqui, é importante ressaltar que a hereditariedade e o ambiente atuam em conjunto.
A interação entre ambos os fatores é decisiva para determinar nosso desenvolvimento e o nosso modo de agir.

Desenvolvimento ou maturação neurofisiológicas

É a partir do que se chama de maturação que alguns padrões de comportamento se tornam possíveis.
Essa possibilidade está diretamente conectada com as mudanças fisiológicas que acontecem em nosso corpo conforme crescemos.
Por exemplo, ninguém espera que um recém-nascido saia da maternidade caminhando.
Antes disso, ele precisa desenvolver seus músculos e articulações, além da coordenação motora.

Principais aspectos do desenvolvimento humano

psicologia do desenvolvimento principais aspectos
Lá no início do artigo, falamos que a psicologia do desenvolvimento inclui uma gama de aspectos em seus estudos, sempre na busca por compreender como o comportamento humano é definido.
Assim, para facilitar as análises e o próprio entendimento, os aspectos são divididos em quatro categorias distintas, que você confere a seguir.

Aspecto físico-motor

Faz referência ao crescimento orgânico e também à capacidade de manipular objetos, o que ocorre a partir do desenvolvimento da maturação neurofisiológica.
Exemplo disso é a criança que, mesmo aos sete meses e com grandes limitações, consegue levar a chupeta até a boca porque já é capaz de coordenar o movimento das mãos para ações simples

Aspecto intelectual

Diz respeito à capacidade de raciocínio que criamos com o passar do tempo.
É o caso do momento no qual a criança entende que precisa tirar o plástico de um pote de iogurte se quiser comer o que tem dentro dele.

Aspecto afetivo ou emocional

Trata-se do modo como cada um de nós encara as experiências e o que sentimos na vivência de cada uma delas.
É algo muito pessoal e que pode variar de um indivíduo para o outro.
Enquanto alguns sentem medo ao ver um cachorro, outros são tomados por alegria. Não existe padrão.

Aspecto da socialização

O aspecto da socialização fala sobre o modo como nos portamos diante de outras pessoas quando estamos em grupo.
Por exemplo, na escola, você costumava ser do tipo que queria fazer todos os trabalhos em dupla ou preferia a individualidade?

Principais teorias e teóricos da psicologia do desenvolvimento

psicologia do desenvolvimento principais teorias teoricos
Vale lembrar, no entanto, que todos os aspectos que citamos no item acima se relacionam entre si.
Afinal, as próprias teorias do desenvolvimento humano – assim mesmo, no plural – entendem que eles são indissociáveis, ainda que existam diferenças na importância dada a cada um deles.
Para entender melhor como isso se concretiza, vamos trazer uma amostra do que é e o que defendem algumas das principais correntes da psicologia do desenvolvimento.

Psicologia de Gestalt

Essa foi uma das primeiras correntes científicas que tiveram origem dentro da psicologia.
Ainda assim, os psicólogos dessa linha são menos conhecidos que os demais.
A principal defesa de Gestalt é que usamos inúmeras estruturas para que possamos aprender.
Ou seja, o desenvolvimento humano estaria baseado em estruturas de ordem biológica, as quais descobrimos como utilizar conforme crescemos.
Isso significa que não haveria propriamente um “desenvolvimento”, mas apenas a descoberta progressiva das capacidades que o cérebro possui.
No entanto, é importante ressaltar que as pesquisas mais atuais mostram que não funciona dessa forma e que existe, sim, evolução dos processos cognitivos.

Psicologia cognitiva

Já a chamada psicologia cognitiva trata da maneira como cada um de nós percebe, aprende, lembra e representa todas as informações fornecidas.
Por isso, percepção, pensamento e memória estão entre os seus principais objetos de estudo.
O objetivo é explicar como o ser humano percebe o mundo e, mais do que isso, como ele se utiliza do conhecimento que possui para desenvolver as funções cognitivas, desde a fala até a capacidade de resolver problemas.
Por isso, podemos dizer que a psicologia cognitiva estuda os processos mentais que estão por trás do comportamento.
Sobretudo na Europa, essa corrente possui grande aceitação.
É importante dizer que a sua criação ocorreu da divergência com outras abordagens da psicologia.
Um dos principais motivos é a adoção do método científico positivista, que defende a objetividade e refuta processos de interpretação ou de construção teórica.
Justamente por isso, vai contra os métodos fenomenológicos, a exemplo da psicanálise – falaremos sobre ela adiante.

Lev Vygotsky

Assim como Piaget, Lev Vygotsky encara o desenvolvimento humano a partir da perspectiva construtivista.
Ele propõe que o conhecimento é construído em ambientes naturais de interação social, estruturados a partir da cultura.
Assim, o comportamento do indivíduo seria um resultado da interação entre sujeito e objeto, em um processo que teria como resultado a construção e a reconstrução das estruturas cognitivas.
De maneira específica, Vygotsky concentrou seus estudos nos efeitos culturais e sociais que eram responsáveis por influenciar o comportamento humano – ambos vistos como indissociáveis.
Inclusive, ele enfatizava a importância da participação do aluno no seu processo de aprendizagem e entendia que a maturação da mente dependia do contato em sociedade.

Behaviorismo

Essa corrente de pensamento surgiu a partir da percepção de que a psicanálise oferecia uma atitude científica reduzida.
Assim como a psicologia cognitiva, o behaviorismo segue o positivismo e desconsidera tudo aquilo que não pode ser medido de maneira objetiva.
Diferente do cognitivismo, no entanto, seu foco se volta ao comportamento do ser humano.
Ou seja, concentra os estudos na relação entre os estímulos percebidos e os comportamentos por eles provocados, deixando de lado as variáveis que não possam ser aferidas.
Assim, a introspecção não é levada em conta.

Psicanálise

Da psicanálise todo mundo certamente já ouviu falar em algum momento, seja por sua forte aplicação prática ou por conhecer o seu criador: Sigmund Freud.
Aqui, o foco da abordagem são os impulsos inconscientes e os efeitos que eles exercem sobre o nosso comportamento.
Sabe todas aquelas vezes em que você se viu repetindo comportamentos nocivos, que prometeu a si mesmo que deixaria de lado? E que tal aquelas situações em que suas próprias ações jogaram contra você? Freud, a psicanálise e o inconsciente explicam.
Um dos caminhos para chegar até esse inconsciente seriam os sonhos e as interpretações possíveis a partir deles, revelando percepções e desejos.
O mesmo vale para os relatos do paciente, já que a psicanálise busca trazer para a consciência o conflito reprimido.
O entendimento é de que, só assim, seria possível lidar com o problema.

Psicologia do desenvolvimento e o coaching

psicologia do desenvolvimento coaching
Se você está se perguntando por que estamos falando de coaching e psicologia do desenvolvimento no mesmo tópico, saiba ela é uma das bases da metodologia – ainda que, é importante ressaltar, coaching não tenha nada a ver com terapia.
Por outro lado, o coaching usa em seu processo elementos teóricos oriundos da psicologia do desenvolvimento.
E não é difícil de entender como isso acontece.
Como já destacado no artigo, a psicologia do desenvolvimento é caracterizada pela tentativa de compreender como o indivíduo se comporta e como lida com seu processo de evolução.
No caso do coaching, estamos falando justamente de um processo de desenvolvimento de competências e habilidades comportamentais.
Nada mais é do que a evolução identificada como necessária para a concretização de objetivos, sejam eles pessoais ou profissionais.
Afinal, trabalhar padrões de ação limitantes e promover o autoconhecimento estão entre as abordagens utilizadas pelo coach para dar suporte aos desenvolvimento de seus clientes.
A metodologia possui embasamento científico e conta com o apoio de teorias e técnicas praticadas e validadas no mundo inteiro.
É por isso que os resultados são alcançados de fato se o indivíduo investe no seu desenvolvimento.

Como se tornar um coach?

Se você se identificou com a conexão entre psicologia do desenvolvimento e o coaching, temos uma pergunta para fazer: você já pensou em se tornar um coach?
A metodologia de desenvolvimento humano que mais cresce no mundo pode oferecer uma carreira e tanto para quem deseja ser parte de transformações positivas na vida das pessoas.
Não existe nenhum pré-requisito e você ainda pode aliar todo o novo conhecimento adquirido com a sua experiência profissional prévia.
Para quem deseja se transformar em um coach de sucesso, a nossa principal dica é buscar uma instituição com reconhecimento internacional e que esteja pronta a dar todo o suporte durante a sua formação.
É o exemplo da SBCoaching, que conta com a experiência de quem já formou mais de 35 mil coaches em todo o Brasil.
Outro conselho importante é entender como você imagina sua atuação depois de se transformar em um coach formado.
Quer trabalhar com clientes mais ligados ao ambiente corporativo? Ou a ideia é focar no nível pessoal?
Hoje, são muitas as opções de cursos disponíveis. A própria SBCoaching conta com um portfólio variado e completo para atender aos mais variados anseios.
Se você ainda está indeciso sobre qual escolher, acesse o nosso site e conheça as opções ou entre em contato com um de nossos atendentes e tire as suas dúvidas.

Conclusão

psicologia do desenvolvimento conclusao
Neste artigo, falamos sobre a psicologia do desenvolvimento.
Você deve ter percebido que se trata de um tema complicado, cheio de nuances e possibilidades.
Não é por acaso que ela reúne tantas correntes distintas.
Se mesmo os grandes pensadores têm dificuldades em definir os limites da mente e do comportamento humano, como um todo, quem sabe você possa fazer um trabalho mais focado.
Quer dizer, que tal olhar para si mesmo em busca do autoconhecimento?
Essa também é uma boa forma de entendermos os nossos comportamentos e quem somos de verdade, como chegamos até aqui e o que queremos ser no futuro.
É um exercício diário, que exige tempo e dedicação, mas que traz resultados e o seu próprio crescimento.
Se você gostou do artigo, aproveite para compartilhar em suas redes sociais.

Comentários

Quem leu este post leu também :)

Teoria das inteligências múltiplas: tudo que você precisa saber

Tendências em educação empreendedora: quais são e benefícios

Arquétipo: o que é, tipos e como se aplicam

Empresa Júnior: o que é, como funciona e vantagens

Psicopedagogia: o que é, importância e atuação profissional

Grafologia: o que é e como funciona a análise de caligrafia

Materiais Educativos

Como se tornar um Coach de sucesso

Escrito por Villela da Matta, presidente da SBCOACHING, este e-book traz 29 perguntas para alavancar o marketing, as vendas e as estratégias do seu negócio para seu sucesso…

Segredos da Paternidade Positiva

O envolvimento do pai contribui de forma significativa para o crescimento intelectual e mental da criança e a estimula na educação, desenvolvimento de habilidades, interesse etc…

Brian Tracy

Brian Tracy é uma das maiores autoridades em coaching e negócios do mundo: em mais de 30 anos de atuação, passaram por suas palestras e seminários mais de 5 milhões de pessoas. Já atuou como coach e consultor em mais de mil empresas. Autor de dezenas de best-sellers, foi homenageado em 2011 com o Lifetime Achievement Award, concedido pela National Academy of Best Selling Authors. É fundador e CEO da Brian Tracy International, tem uma carreira de sucesso, principalmente nos setores de vendas e marketing, investimentos, desenvolvimento imobiliário, importação, distribuição e consultoria de gestão.

Flora Victória

Flora Victoria é fundadora da Sociedade Brasileira de Coaching, presidente da SBCOACHING Training e Mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania. Diretora educacional das empresas do SBCOACHING Group e founding fellow do Institute of Coaching (IOC) – órgão afiliado à Harvard Medical School dedicado ao avanço do coaching, Flora é considerada a maior especialista em psicologia positiva aplicada ao coaching do país. Seu trabalho precursor resultou na criação do primeiro treinamento de positive coaching do Brasil. Pioneira na condução de projetos de pesquisa e comprovação científica do coaching no país, tem contribuído significativamente para consolidar a credibilidade desse processo e estimular seu desenvolvimento no Brasil e no mundo.

Como trainer e master coach, Flora já participou da formação de mais de 45 mil coaches no Brasil. Responsável pelas parcerias internacionais firmadas pela SBCOACHING com instituições globais, Flora tem trazido para o Brasil o que há de melhor e de mais atual no coaching internacional. Flora representa a Sociedade Brasileira de Coaching como membro da Graduate School Alliance for Executive Coaching (GSAEC), instituição especializada no ensino acadêmico do coaching, e da Association for Coaching (AC), credenciadora internacional presente em mais de 50 países.

Escritora de obras que são referência no coaching mundial, Flora é coautora dos livros Personal & Professional Coaching®, Executive & Business Coaching®, Positive Psychology Coaching® e Career Coaching®, entre outros. Em parceria com Brian Tracy e Villela da Matta, escreveu Estratégias Avançadas de Vendas e Engajamento Total. Como parte de sua contribuição para o coaching global, Flora foi convidada a integrar uma equipe internacional cujo objetivo foi discutir e compreender a diversidade do coaching no mundo. Esse trabalho resultou no livro Diversity in Coaching: Working with Gender, Culture, Race and Age, lançado pela Association for Coaching (AC). Como especialista em coaching, negócios, liderança e psicologia positiva, escreve artigos para a Revista SBCOACHING, para a Revista Científica Brasileira de Coaching e para diversos portais.

Com graduações acadêmicas e especializações nas áreas de Governança Corporativa pela Harvard Business School, MBA pela FGV, Marketing pela ESPM e Tecnologia pela USCS, a expert em ciências comportamentais, Flora, aplica seu sólido conhecimento teórico e prático para contribuir com diferentes públicos na conquista de resultados e aumento de realizações.

Com uma experiência organizacional consolidada ao longo de 30 anos, antes de fundar a SBCOACHING Flora foi executiva da Claro e atuou em grandes empresas como Volkswagen, Ford e Bell South, nas áreas de planejamento estratégico, gestão de mudanças, governança corporativa, tecnologia e finanças. À frente da SBCOACHING Training™, dedica-se continuamente a expandir o portfólio de serviços e a elevar cada vez mais a qualidade e a eficácia do coaching.