Stakeholder: O que são e Como Identificar (Guia Completo)

Você sabe o que é stakeholder e porque eles são super importantes?

O stakeholder é fundamental para empresas de todos os segmentos. Entenda melhor esse termo nesse post.

O mundo corporativo está repleto de termos que são particulares a ele. Mesmo falando inglês e outros idiomas, às vezes é difícil manter-se à par de todas as terminologias e conceitos. No entanto, esse entendimento é importantíssimo para aqueles que pretendem fazer carreira no mundo administrativo e de empreendedorismo.

Stakeholder é um dos termos que costuma inspirar muitas dúvidas. E é fundamental entender o que é stakeholder, visto que se trata de um fator importantíssimo para o sucesso de um negócio.

Quer mais dicas para se tornar um líder incrível e promover o sucesso do seu negócio? Leia também esse outro conteúdo que preparamos para você!

A seguir, você encontra um guia completo sobre stakeholders, com todas as informações que você precisa sobre o assunto. Tire todas as suas dúvidas e se torne um especialista no assunto! Continue lendo e confira:

O que é um Stakeholder?

O stakeholder é um público estratégico. Podemos entender essa expressão como descrevendo uma pessoa ou grupo que possuem interesse em determinado negócio, indústria ou serviço.

stakeholder

O termo foi proposto pelo filósofo Robert Edward Freeman, e é cada vez mais utilizado no contexto corporativo.

A expressão é composta de duas palavras em inglês: stake, que significa interesse, risco ou participação; e holder, que significa aquele que possui. O stakeholder, então, é aquele que possui interesse ou participação no negócio, seja ele um indivíduo ou um grupo.

Esse termo é frequentemente utilizado em áreas da comunicação, administração e tecnologia da informação. Sua função é designar as pessoas e grupos mais importantes para um projeto: a parte interessada.

Todas as ações de uma empresa, portanto, devem ser pensadas com os stakeholders em mente. As práticas e políticas do negócio afetarão diretamente essas pessoas ou grupos, de maneira positiva ou negativa. Dessa forma, identificar esses grupos é essencial para a tomada de decisões estratégica em empresas de qualquer setor.

Qual é a diferença entre stakeholder e shareholder?

É muito comum que exista confusão entre esses dois termos. Além de ortograficamente parecidos, eles também possuem significados aproximados, apesar de completamente diferentes.

O termo shareholder faz alusão a outro tipo de grupo que possui interesses nas direções tomadas por uma empresa – os acionistas. O termo é composto pelas palavras em inglês: share, que significa parte ou divisão, também sendo utilizada para ações; e holder, cujo significado já revisamos.

stakeholders
Entenda a diferença entre stakeholders e shareholders.

Dessa forma, a tomada de decisão estratégica dentro de uma empresa poderá ser orientada pelos interesses desses dois grupos: stakeholders e shareholders. Essa escolha determina qual é o modelo empresarial eleito.

Modelo empresarial stakeholders

Esse modelo empresarial surgiu nas últimas décadas. Nele, a empresa é enxergada como uma organização social, que deve trazer algum tipo de benefício a todas as partes interessadas – stakeholders.

Ele é conhecido como um modelo de responsabilidade social. O lucro alcançado pela empresa é dividido de maneira proporcional, de acordo com a participação de cada grupo: proprietários ou acionistas, clientes, fornecedores, colaboradores, entre outros.

Uma característica marcante desse modelo empresarial é que ele não prioriza apenas o lucro e desenvolvimento financeiro. As ações da empresa visam agregar valores à sociedade, promover bem estar aos seus colaboradores ou contribuir para o avanço do setor como um todo.

Modelo empresarial shareholder

Esse modelo foi quase exclusivamente utilizado durante toda a Era Industrial, e possui com foco principal garantir a lucratividade para os acionistas (stakeholders). A empresa é enxergada como entidade econômica, que não possui responsabilidades sociais.

Qual a importância dos Stakeholders para uma empresa

Agora que você já entendeu melhor o que são stakeholders, é hora de refletir sobre a importância desses grupos ou pessoas para uma empresa.

A identificação e entendimento dos stakeholders pode proporcionar uma visão muito mais ampla dos processos em um negócio. A partir delas, é muito mais fácil para que os responsáveis pelo planejamento compreendam como a empresa pode melhorar, como processos podem ser otimizados e como garantir benefícios para todas as partes envolvidas.

stakeholders sucesso grupo
Stakeholders são fundamentais para o sucesso de um projeto.

Os consumidores, por exemplo, estão cada vez mais exigentes. Empresas que visam apenas o lucro de seus acionistas são cada vez menos bem vistas, com a preferência do público ficando com negócios socialmente e economicamente mais conscientes.

Quando os stakeholders de um projeto são identificados logo no início, é mais fácil avaliar restrições, riscos e requisitos envolvidos. Isso é fundamental para tomar decisões de maneira mais eficiente.  

Exemplos de Stakeholders em uma empresa

Identificar os stakeholders de uma empresa, negócio ou projeto é fundamental para o planejamento estratégico. Para ajudar você nessa tarefa, separamos alguns exemplos práticos de stakeholders. Confira:

  • Clientes;
  • Colaboradores;
  • Gestores de diversos setores;
  • Concorrentes;
  • Fornecedores;
  • Proprietários;
  • Acionistas;
  • Mídia;
  • Estado;
  • ONGs;
  • Sindicatos.

Todos esses grupos podem influenciar de maneira positiva ou negativa o desempenho de um negócio. Dessa forma, devem sempre ser considerados. A identificação dos stakeholders é uma parte essencial no início de qualquer projeto!

stakeholders projeto
Entenda quem são os possíveis stakeholders de um projeto ou negócio.

Tipos de Stakeholders

Existem muitos exemplos de stakeholders. Afinal, o termo engloba qualquer grupo ou pessoa que possua interesses ou assuma riscos em um determinado projeto. Para facilitar o entendimento e identificação dos stakeholders, eles foram divididos em dois tipos: internos e externos.

Confira uma explicação mais detalhada sobre cada um deles, além de alguns exemplos, para tirar suas dúvidas:

Stakeholders Internos

Os stakeholders internos são aqueles que possuem alguma afiliação formal com a empresa. Ou seja, eles incluem:

  • Colaboradores;
  • Gestores;
  • Gerentes;
  • Proprietários;
  • Acionistas.

Stakeholders Externos

São aqueles que, apesar de diretamente afetados pela direção dos projetos da empresa em questão, não possuem afiliação com a mesma. Por exemplo:

  • Clientes;
  • Fornecedores;
  • Credores e Investidores;
  • Estado;
  • ONGs;
  • Mídia;
  • Concorrentes.

Outros tipos de stakeholders

Alguns teóricos apontam, também, outras classificações para stakeholders. Essas classificações se baseiam em alguns atributos:

  • Grau de dependência: onde são identificados os públicos pelos quais a organização possui necessidade e que interferem diretamente na sua sobrevivência. Alguns exemplos são: governo, os colaboradores, os clientes e os fornecedores.
  • Grau de participação: grupos pelos quais não há dependência por parte da empresa, porém colaboram para a melhoria e bom desempenho do projeto. Alguns exemplos podem ser redes de consultoria, redes sindicais e comunidades.
  • Grau de interferência: públicos que podem interferir positiva ou negativamente na imagem da empresa. Esse tópico possui duas subdivisões:
    • Rede de concorrência: empresas que trabalham no mesmo segmento da organização
    • Rede de comunicação de massa: veículos de comunicação que podem influenciar os públicos a respeito da organização.
stakeholders tipos
Existem diferentes formas de classificar e lidar com stakeholders.

Legitimidade, influência e urgência.

Existem também algumas classificações baseadas em legitimidade (o quão oficial e organizado é o grupo), influência (o quanto o grupo pode interferir no projeto), e urgência (grau de interesse do grupo no projeto):

  • Stakeholder Arbitrário: É aquele que possui legitimidade, mas não tem poder de influenciar a empresa ou alega urgência. Tendem a ser mais receptivos.
  • Stakeholder Adormecido: É aquele que tem poder para impor sua vontade na organização, porém não tem legitimidade ou urgência, limitando sua interação com o projeto.
  • Stakeholder Reivindicador: O atributo mais importante desse stakeholder é a urgência. Sem poder e sem legitimidade, sua capacidade de influenciar o projeto é limitada, mas deve ser monitorada.
  • Stakeholder Dominante: É aquele que tem sua influência na empresa assegurada pela legitimidade. Espera muita atenção da empresa.
  • Stakeholder Dependente: É aquele que possui urgência e legitimidade, porém dependem do poder de um outro stakeholder para que suas reivindicações sejam levadas em consideração.
  • Stakeholder Definitivo: Quando o stakeholder possui poder e legitimidade ele se configura como definitivo. Ele também pode demonstrar urgência. Nesse caso, a empresa deverá prestar muita atenção nesse grupo.
  • Stakeholder Perigoso: Quando há poder e urgência, porém não existe a legitimidade, o que existe é um stakeholder coercitivo e possivelmente violento para a organização.

Como identificar e engajar os Stakeholders de um empresa ou projeto

Identificar as partes interessadas é um dos primeiros passos para planejar um projeto com excelência. Agora que você já entende melhor o que são stakeholders e quais são os diferentes tipos em que são classificados, é hora de aprender efetivamente como identificá-los em cada projeto.

Antes de mais nada, você precisará identificar os stakeholders-chave. Eles são aqueles que são impactados diretamente pelo projeto ou que possuem maior influência no processo de tomada de decisão.

Por exemplo: imagine que o projeto criado seja da canalização de um rio. Nesse caso, os stakeholders chave são a comunidade que será afetada pela obra e os órgãos públicos que possuem poder de veto sobre ela.

Stakeholders
Existem diferentes formas de classificar e lidar com stakeholders.

Uma vez que os stakeholders-chave foram definidos, é hora de começar o processo de identificação. Siga esses passos simples para não esquecer de nada:

1: Liste todas as possíveis partes interessadas

O brainstorming é uma ótima técnica para utilizar nesse estágio da análise. Aqui, ainda não importa o grau de interesse ou o quanto o grupo pode influenciar no projeto: a ideia é simplesmente listar todas as partes interessadas que vierem à mente.

Também é interessante incluir nessa fase uma pesquisa de mercado e benchmarking com a concorrência, envolvendo o maior número de pessoas possível. Quanto mais pontos de vista investigados, mais dados você terá para definir os stakeholders de maneira adequada.

2: Entenda o interesse de cada stakeholder

Agora que você tem uma lista completa de partes afetadas pelo projeto, é hora de avaliar os interesses. Nessa fase, você deve considerar quais são os efeitos do projeto para cada grupo. Pode ser mais fácil dividir a lista em duas partes: impactos positivos e negativos do projeto.

Esse processo é importante para avaliar a viabilidade do projeto, além de identificar cedo possíveis obstáculos e desenvolver estratégias para circundá-los. Confira algumas perguntas que te ajudarão nessa fase da identificação de stakeholders:

  • O resultado obtido no projeto irá afetá-lo de alguma maneira?
  • Eles agregam no projeto de alguma forma?
  • O trabalho exercido por eles impacta o projeto?
  • As decisões tomadas por eles podem alterar o escopo do projeto?
  • Eles impactam o orçamento do projeto?
  • Eles afetam o resultado alcançado pelo projeto?
  • Eles influenciam o atingimento de metas significativas dentro do projeto?

3: Identifique o grau de influência de cada stakeholder

A influência é compreendida como o nível de capacidade de avançar ou paralisar o seu projeto que cada stakeholder possui. Agora você já sabe quem eles são e o que eles querem. É hora de determinar o quanto eles podem, efetivamente, intervir na eficiência do seu projeto.

Stakeholders matriz
Para facilitar a classificação, você pode montar uma matriz:

O lado direito do quadrante é onde você deve focar seus esforços de comunicação. Especialmente no quadrante superior direito, que possui alta influência e alto interesse no projeto. Essas pessoas são as que têm o poder de potencializar seus esforços ou de barrá-los.

4: Classifique os stakeholders por ordem de importância

Agora que você compreende melhor quem são os stakeholders que possuem capacidade de influenciar seu projeto e quais são os interesses de cada um deles, é hora de classificá-los por ordem de importância.

Os definidos como mais importantes são aqueles onde os esforços de comunicação devem se focar. Seja para reduzir a probabilidade de que stakeholders de alta influência e baixo interesse no projeto causem problemas ou para potencializar a colaboração daqueles que possuem interesse no projeto.

A classificação pode ser feita através da matriz ou de outro sistema de pontuação, dependendo de como você se sentir mais confortável. O importante é organizar os stakeholders de maneira clara. Algumas empresas utilizam até mesmo alguns perfis e categorias para determinar a importância dos stakeholders. Veja alguns exemplos:

  • Desinformado: não possui conhecimento e não impacta no projeto;
  • Resistente: não está aberto para aceitar o projeto, frequentemente porque este oferece consequências negativas para o stakeholder;
  • Neutro: não está disposto a apoiar, mas também não se opõe ao projeto;
  • Apoiador: aceita e estimula as mudanças;
  • Líder: é ativo e engajado em garantir que o plano obtenha êxito.

Principais dicas para identificar os stakeholders de uma empresa ou projeto

Para completar esse guia, preparamos algumas dicas fundamentais para identificar os seus stakeholders-chave com sucesso. Elas foram baseadas nos erros mais comuns cometidos por empresas na hora de apontar os stakeholders. Esses erros podem causar problemas significativos no futuro, e por isso, devem sempre ser evitados.

Stakeholders erros
Evite os erros mais comuns ao identificar stakeholders.

Confira as dicas a seguir:

1: Brainstorming – nenhuma ideia é descartada

É essencial que na fase do brainstorming, diversos setores da empresa participem e que ideias não sejam descartadas. Mesmo os grupos menos influentes devem ser considerados.

É comum que alguns grupos sejam excluídos do processo de classificação para economizar tempo, mas essa pode ser uma decisão arriscada. No mundo corporativo, tudo é muito dinâmico. Um stakeholder que parecia não ter importância pode se tornar essencial para um projeto no futuro.

2: Classificação, organização e listas

Classificar stakeholders pode ser um processo demorado, mas é essencial para identificar quem são os mais importantes e onde os esforços de comunicação da empresa deverão estar focados.

O ideal é que seja determinado um tipo de classificação padronizado, utilizado para todos os projetos. Nesse artigo, você encontrou diversas sugestões de agrupamentos e métodos de classificação. Sua empresa pode adotar um deles, ou desenvolver a própria terminologia. O importante é estar sempre organizado.

3: Não negligencie os stakeholders externos

Um erro muito comum é pensar que stakeholders externos possuem influência menor nos projetos da empresa. Isso não poderia ser menos verdade. Lembre-se que entre eles, encontram-se fornecedores, governo e clientes. Esses são apenas três exemplos de grupos que precisam sempre ser considerados, mesmo não possuindo afiliações com a empresa.

Conclusão

Identificar os stakeholders de uma empresa, negócio ou projeto é uma fase fundamental do planejamento estratégico em qualquer setor. Eles são os grupos ou pessoas que estão interessados ou serão afetados pelo projeto, e portanto, sempre devem ser levados em consideração.

stakeholders
Parcerias são essenciais para o sucesso.

A preocupação com stakeholders é relativamente nova no mundo corporativo. Durante a era industrial, era comum que as empresas tivessem seus esforços e foco voltados apenas para os benefícios oferecidos aos acionistas, ou shareholders. Hoje, com a evolução dos métodos de consumo e com empresas assumindo um papel cada vez mais social, é importante fazer uma análise mais completa sobre os grupos afetados por projetos e políticas de negócios.

A identificação dos stakeholders pode ajudar muito na tomada de decisão. Ela permite uma visão mais ampla das vantagens, riscos e aliados que determinados projetos possuem. Com isso, é possível encontrar soluções para problemas antes mesmo que eles aparecem, tornando todos os processos muito mais eficientes. Além disso, parcerias com stakeholders que possuem interesses nos projetos podem ser a chave para o sucesso de uma empresa.

Quer saber mais sobre como potencializar sua carreira e seu negócio? Confira também esses outros conteúdos que preparamos com o tema:

E você, já realiza a análise de stakeholders na sua empresa? O que acha sobre a importância desse processo? Divida suas experiências conosco nos comentários e não esqueça de perguntar se ficou com alguma dúvida!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quem leu este post leu também :)

Recolocação Profissional

Você já ouviu falar em Outsourcing?

LIDERANÇA EFETIVA: COMO GUIAR SUA CARREIRA E VIDA EM 2021

Skills de hoje e do futuro

O que é autoeficácia e como ela pode ajudar você

As habilidades mais importantes em 2021

Materiais Educativos

Como se tornar um Coach de sucesso

Escrito por Villela da Matta, presidente da SBCOACHING, este e-book traz 29 perguntas para alavancar o marketing, as vendas e as estratégias do seu negócio para seu sucesso…

Segredos da Paternidade Positiva

O envolvimento do pai contribui de forma significativa para o crescimento intelectual e mental da criança e a estimula na educação, desenvolvimento de habilidades, interesse etc…

Brian Tracy

Brian Tracy é uma das maiores autoridades em coaching e negócios do mundo: em mais de 30 anos de atuação, passaram por suas palestras e seminários mais de 5 milhões de pessoas. Já atuou como coach e consultor em mais de mil empresas. Autor de dezenas de best-sellers, foi homenageado em 2011 com o Lifetime Achievement Award, concedido pela National Academy of Best Selling Authors. É fundador e CEO da Brian Tracy International, tem uma carreira de sucesso, principalmente nos setores de vendas e marketing, investimentos, desenvolvimento imobiliário, importação, distribuição e consultoria de gestão.

Flora Victória

Flora Victoria é fundadora da Sociedade Brasileira de Coaching, presidente da SBCOACHING Training e Mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela University of Pennsylvania. Diretora educacional das empresas do SBCOACHING Group e founding fellow do Institute of Coaching (IOC) – órgão afiliado à Harvard Medical School dedicado ao avanço do coaching, Flora é considerada a maior especialista em psicologia positiva aplicada ao coaching do país. Seu trabalho precursor resultou na criação do primeiro treinamento de positive coaching do Brasil. Pioneira na condução de projetos de pesquisa e comprovação científica do coaching no país, tem contribuído significativamente para consolidar a credibilidade desse processo e estimular seu desenvolvimento no Brasil e no mundo.

Como trainer e master coach, Flora já participou da formação de mais de 45 mil coaches no Brasil. Responsável pelas parcerias internacionais firmadas pela SBCOACHING com instituições globais, Flora tem trazido para o Brasil o que há de melhor e de mais atual no coaching internacional. Flora representa a Sociedade Brasileira de Coaching como membro da Graduate School Alliance for Executive Coaching (GSAEC), instituição especializada no ensino acadêmico do coaching, e da Association for Coaching (AC), credenciadora internacional presente em mais de 50 países.

Escritora de obras que são referência no coaching mundial, Flora é coautora dos livros Personal & Professional Coaching®, Executive & Business Coaching®, Positive Psychology Coaching® e Career Coaching®, entre outros. Em parceria com Brian Tracy e Villela da Matta, escreveu Estratégias Avançadas de Vendas e Engajamento Total. Como parte de sua contribuição para o coaching global, Flora foi convidada a integrar uma equipe internacional cujo objetivo foi discutir e compreender a diversidade do coaching no mundo. Esse trabalho resultou no livro Diversity in Coaching: Working with Gender, Culture, Race and Age, lançado pela Association for Coaching (AC). Como especialista em coaching, negócios, liderança e psicologia positiva, escreve artigos para a Revista SBCOACHING, para a Revista Científica Brasileira de Coaching e para diversos portais.

Com graduações acadêmicas e especializações nas áreas de Governança Corporativa pela Harvard Business School, MBA pela FGV, Marketing pela ESPM e Tecnologia pela USCS, a expert em ciências comportamentais, Flora, aplica seu sólido conhecimento teórico e prático para contribuir com diferentes públicos na conquista de resultados e aumento de realizações.

Com uma experiência organizacional consolidada ao longo de 30 anos, antes de fundar a SBCOACHING Flora foi executiva da Claro e atuou em grandes empresas como Volkswagen, Ford e Bell South, nas áreas de planejamento estratégico, gestão de mudanças, governança corporativa, tecnologia e finanças. À frente da SBCOACHING Training™, dedica-se continuamente a expandir o portfólio de serviços e a elevar cada vez mais a qualidade e a eficácia do coaching.